A história que ninguém vê – Brasileirão!

25 12 2008
  • Campeonato Brasileiro de 1974 – A Inversão de mando


Cruzeiro, de Minas Gerais, e Vasco, do Rio de Janeiro, empataram o número de pontos, levando assim a um jogo desempate. O Cruzeiro fez uma capanha melhor, logo conquistando o direito de mandar o jogo da Final. Mas um dirigente do time Mineiro invadira o campo durante uma partida, assim a C”B”F inverte o mando de campo para o Maracanã

  • Campeonato Brasileiro de 1976 – O Medo da Invasão fala mais alto


O Sport Club Corinthians Paulista fizera o maior ato, até hoje, de uma torcida na história do futebol mundial, invadindo o Rio de Janeiro com mais de 80 mil torcedores para a disputa da Semi-Final do Campeonato Brasileiro desse ano contra a Fluminense, nos penais o clube paulistano se classifica para a final, contra o forte Internacional de Porto Alegre.

Com o medo da capital gaúcha ser invadida como a carioca o clube alvi-rubro toma uma série de medidas; some com os ingressos, fecha estradas, cria “blitz” da polícia nos arredores do estádio e da cidade; fora as ações contra o time de São Paulo, que fica sem água e eletricidade no vestiário do estádio do Beira-Rio durante toda a partida.

  • Campeonato Brasileiro de 1979 – 90 Times, regulamento confuso, as ausências de Paulistas; Nasce o único campeão invicto


O Regime militar estava em decadência no Brasil, para melhorar a imagem do governo a CBF coloca clubes de todo o país no campeonato brasileiro, somando no total 94 clubes, fora o regulamento muito confuso. Com isso os clubes paulistas, São Paulo, Corinthians, Santos, Palmeiras e Guarani requerem que a CBF coloque-os apenas nas fases finais do torneio, a entidade recusa; assim eles se negam a disputar o torneio para conseguiu competir no Campeonato Paulista.

Devido a ausência muito sentida, rebaixando o nível do certame, a CBF volta atrás e permite que o Guarani e o Palmeiras, Campeão e Vice de 78, entrem nas últimas fases do torneio. O Internacional de Porto Alegre sobrevive a tudo isso e se torna o primeiro, e até hoje, o único campeão Invicto.

  • Campeonato Brasileiro de 1980 – Flamengo recebe o título no colo


Com 2 arbitragens conturbadas e cheios de erros,segundo algumas interpretações, o Flamengo, time de maior torcida do país, finalmente consegue o título de campeão brasileiro em cima do Atlético-MG. A rivalidade dos dois times voltaria na disputa da Libertadores quando o Flamengo só classificou após o árbitro ter expulsado quase todo o time do Atlético de campo.

  • Campeonato Brasileiro de 1981 – A Ameça Tricolor e o Promovido


Uma das semifinais deste ano foi entre São Paulo e Botagofo; o primeiro jogo no maracanã terminara em 1×0 para o alvinegro. No segundo jogo o time carioca faz 2×0 mas o tricolor diminui ainda no primeiro tempo. Durante o intervalo uma confusão acontece nos vestiários, onde seguranças são paulinos cercam o Árbitro que supostamente estaria favorecendo o time do Rio.
O tricolor paulista vira e vence por 3×1, indo a final do campeonato. Anos depois o juiz da partida Bráulio Zannoto declara que foi agredito quase espancado por homens armados.

Ainda nesse mesmo ano, o Palmeiras que fora mal no Paulista caiu para a Taça de Prata do Brasileiro. Mas como previa o regulamento da época os melhore times dela eram promovidos no mesmo ano e disputavam a Taça de Ouro

  • Campeonato Brasileiro de 1982 – O Promovido II


Assim como o Palmeiras em 1981, o Corinthians também com a fraca campanha no paulista fica para a Taça de Prata, mas igual ao seu rival sobe no mesmo ano. Regra que fora apagada à partir de 1983

  • Campeonato Brasileiro de 1983 – O Convidado


Na época os participantes do Braileirão da série A, a Taça Ouro, eram escolhidos de acordo com a classificação em seus respectivos campeonatos estaduais; no campeonato Paulista os 8 primeiros se classificavam. O Santos Futebol Clube termina em 9º, mas a CBF o convida para participar, no final o time é Vice-Campeão perdendo para o Flamengo no jogo de maior público da história do torneio.
Campeonato Brasileiro de 1984 – Convidado II: O Retorno

Assim como no ano anterior o Clube de Regatas Vasco da Gama não se classificou para a disputa do Nacional, colocando assim o alvi-negro na segunda divisão da época, a Taça de Prata. Mas a CBF convida o time da Cruz de Malta para o Brasileirão, onde termina como vice-campeão

  • Campeonato Brasileiro de 1987 – A Copa Desunião


A CBF decidiu diminuir o número de times de 80 no ano anterior para 28, assim Botafogo e Coritiba cairam para a série B. O Clube carioca entra na justiça contra o Campeonato, assim, o Clube dos 13 decide organizar um Brasileiro para impedir o time do Rio jogasse a segunda divisão, onde jogaram os 13 times mais Coritiba, Goiás e Santa Cruz. A CBF reuniu os outros clubes, inclusive o Guarani, vice-campeão de 1986, e faz o Módulo Amarelo, e transformando a Copa União em Módulo Verde. Incialmente o Clube do 13 recusou a proposta, mas a FIFA ameça os clubes e manda a CBF organizar o Brasileiro.

Assim o campeão e vice do módulo verde mais os dois primeiros do módulo amarelo disputariam um quadrangular final para decidir o verdadeiro campeão Brasileiro de 1987.

Chegam as finais, Internacional e Flamengo pelo Módulo Verde e Guarani e Sport de Recife pelo Módulo amarelo decidiram o quadrangular, inesplicavelmente os clubes de Porto Alegre do Rio de Janeiro se recusam a jogar as finais, o Sport vence o Guarani e se torna Campeão de 1987.

  • Campeonato Brasileiro de 1991 – Lingüiça neles!


Os quatro primeiros colocados da 1ª fase; Corinthians, São Paulo, Bragantino e Atlético Mineiro passariam para as Semi-finais, inciando a disputa decisiva do título desse ano. Às vésperas do início das partidas a CBF resolveu que o Fluminense ganharia os pontos de vitória de uma partida contra o Botafogo – interrompida com o placar de 0x0 após invasão da torcida Fluminense – assim o clube carioca passa a frente do Corinthians Paulista na tabela e entra para as Semi-finais, seu adversário fora o Clube Atlético Bragantino, de Bragança Paulista – A Terra da Lingüiça; o time do interior de São Paulo jogou e fazendo justiça elimina o Fluminense no Maracaña.

  • Campeonato Brasileiro de 1993 – A Reorganização do Brasileiro e os Intocáveis


Nesse ano a CBF decide “reorganizar” o Brasileiro e promove de uma vez 12 clubes da série B para a série A, aumentando de 20 em 92 para 32 times neste anos. A razão disto fora que o Grêmio Football Porto-Alegrense que disputava a série B de 1992 faz um desempenho pífio e termina em 11º, permacendo assim mais um ano na segundona, ou seja, para subir o clube gaúcho foram subidos todos os que ficaram na sua frente.

Neste mesmo campeonato a CBF, pressionada pelo Clube dos 13, decidiu que 16 equipes estariam automaticamente garantidas na 1ª divisão de 94, não importando sua colocação. Botafogo, Fluminense, Atlético Mineiro e Bahia mesmo oucupando as últimas posições não são rebaixados.

  • Campeonato Brasileiro de 1995 – A Estrela Solitária assalta no Pacaembu


A final desse ano fora disputada no estádio Muncipal Paulo Machado de Carvalho, o Pacaembu, entre Santos-SP e Botafogo-RJ. O Botafogo fizera o primeiro gol com Túlio Maravília, mas o atacante carioca estava clamurosamente impedido, mesmo assim o gol fora validado. O alvinegro paulista empata o jogo e ainda consegue a virada, mas o árbrito, Márcio Rezende de Freitas, anula o tento e faz assim o Time da Estrela Solitária Campeão de 1995

  • Campeonato Brasileiro de 1996 – A Anulação


Após o fim do Brasileiro deste ano, Bragantino e Fluminense seriam rebaixados, mas em 19997 surge um suposto esquema de favorecimento de alguns clubes pelos árbritos. Mas antes mesmo de alguma conclusão sobre isso a CBF rasga o regulamento, e simplismente anula o rebaixamento, segurando o Tricolor Carioca na 1ª divisão, que cairia em definitivo no ano seguinte.

  • Campeonato Brasileiro de 1999 – Médias, ponderações, progressões e afins; o estopim da Copa JH


A CBF com o intuito de proteger os clubes cariocas e não deixar que, como o Fluminense em 97, os times do estado caíssem resolve promover o rebaixamento para a série B de 2000 de acordo com uma média ponderada com o Brasileiro de 1998. O Botafogo do Rio de Janeiro(Nessa mesma época o Botafogo de Ribeirão Preto/SP disputava a série A) cairia para segundona em 2000, mas mediante aos caúculos confusos e uma ação na Justiça desportiva envolvendo o jogador de São Paulo, Sandro Hiroshi que tinha idade adulterada, o Botafogo se safa do rebaixamento e assim o Gama, do distrito federal, que terminara em 15º é rebaixado.

Nesse mesmo ano o Fluminense é campeão brasileiro da série C.

Campeonato Brasileiro de 2000 – Ações na Justiça, intervenções da FIFA, queda de alambrados e etc, a Copa João Havelange

Após as viradas de mesa do rabaixamento de 1999, para favorecer o Botafogo, o Gama revoltado com tudo resolve entrar na justiça comum, algo proibido pela FIFA. A entidade máxima do futebol entra em ação e dá um xeque para a CBF que se benificia de brexas na lei e cria a Copa João Havelange, anulando naquele ano as “divisões” as transformando em “módulos”. Curiosamente o Fluminense, que deveria disputar a série B de 2000 é beneficiado e tem a chanche de “subir” no mesmo ano, mas a despediça

Chega a final, entre o Vasco da Gama do Rio de Janeiro e o São Caetano do ABC paulista, supresa do campeonato. O Azulão empata no primeiro jogo em São Paulo e vai para o segundo em São januário, casa do Vasco. O clube paulista é
Campeonato Brasileiro de 2001 – A Virada de Mesa Oficializada

O certame voltava a ser o Brasileiro de sempre, mas alguns clubes que deveriam estar na 2ª divisão acabam sendo subidos, principalmente o Fluminense. A partir daí outros clubes entraram na justiça para conseguir sua vaga na competição. Já que entraram na disputa decisiva de 2000. Mas apenas o São Caetano e o Paraná sobem.

  • Campeonato Brasileiro de 2004 – Uma vida vale 24 Pontos


Na pártida do segundo turno do brasileiro desse ano, entre São Caetano e São Paulo, o Zagueiro do clube do ABC, Serginho, falece e o clube acaba perdendo, em decisão controversa, 24 pontos por “negligência”. Esperava-se a queda do time no lugar de outros grande do Rio muito ameaçados, mas mesmo assim o azulão consegue se manter na série A.

  • Campeonato Brasileiro de 2005 – A Máfia do Apito


No segundo turno do Brasileiro a Revista Veja lança uma matéria sobre o árbrito Edílson Pereira de Carvalho, que se aliou a sites de apostas inglêses e teria “missões” de favorecer os clubes para que os apostadores vencessem. A Polícia age e no mesmo dia do lançamento da revista o ex-juiz é preso.

O Ábrito não ajuda e as investigações ficam cada vez mais difícil, e a apartir daí começam suspeitas que o árbrito estaria fazendo jogo duplo, ou seja, estava aliado a dois grupos de apostadores. Criando assim a dúvida de quem seriam os times beneficiados em suas partidas.

Para evitar reclamações futuras o STDJ, presidido por Luiz Sveiter, anula todas as 11 partidas apitadas pelo ábrito no Campeonato Brasileiro desse ano. Fazendo que os times entrassem em campo para realizar novamente as partidas. O Corinthians, futuro campeão deste ano, perdeu as 2 partidas apitadas por Edílson, mas teve a oportunidade de disputar novamente elas, ganhando uma e empatando a outra. Assim o clube Paulista ganhou, no campo, mais 4 pontos e se beneficiou indiretamente dessa situação.

Fonte: Internet


Actions

Information

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s




%d bloggers like this: